O antigo Bairro da Saúde se estendia da Prainha, atual Praça Mauá, à Gamboa. Era uma faixa arenosa, entre os morros da Conceição e do Livramento, atravessada pela Pedra da Prainha, atual Pedra do Sal.

Já no século XVII, seus trechos eram conhecidos como Valongo e Valonguinho. Ao longo do litoral, havia um caminho rústico que tinha o nome de Rua São Francisco da Prainha, depois Rua da Saúde e, hoje, corresponde à rua Sacadura Cabral.

Vaso Largo de São Francisco da Prainha
Mercedes Baptista Largo de São Francisco da Prainha

Em 1704, o padre Francisco da Mota doou à Ordem Terceira da Penitência um trapiche (espécie de porto) e terras nas fraldas do morro da Conceição, à margem da atual Rua Sacadura Cabral. Em 1710, durante a invasão francesa, o trapiche foi destruído e construída uma capela, cuja ornamentação interna data do final do século XIX, com grades e escada em caracol de ferro fundido. Este monumento religioso é tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Em 1742, Manuel Negreiros construiu a Capela de Nossa Senhora da Saúde, na Praia da Saúde. No Valongo, ficava um mercado de escravos, vendidos em armazéns-depósitos. A partir de 1831 o mercado foi desativado. Em 1921, todos os equipamentos existentes no Observatório da Escola Politécnica, situado no Morro de Santo Antônio, foram levados para a Chácara do Valongo, local onde, antes, ficava o mercado de escravos.

Obelisco Praça Barão de Tefé
Nossa Senhora da Imaculada Conceição Praça Major Valo

A Saúde passou a ter sua orla repleta de trapiches, armazéns e cais, com entrepostos de madeiras, couros, açúcar, cal de mariscos e produtos agrícolas vindos da Bahia. Com o ciclo do café, a região teve notável progresso. O café cultivado no Vale do Paraíba descia a serra e era estocado em seus grandes armazéns.

No Morro da Conceição, destaca-se, ainda, o Palácio Episcopal, resultado da ampliação, no século XVIII, de um convento dos Capuchinhos, para servir de residência aos bispos do Rio de Janeiro. Junto ao Palácio foi construída, entre 1715 e 1718, a Fortaleza da Conceição, para fortalecer o sistema defensivo da Cidade. Outro destaque é o Observatório do Valongo, inaugurado em 1924, no Morro da Conceição.

Os jardins do Valongo, construídos pelo Prefeito Pereira Passos em 1905, são outro marco importante do Bairro. O acesso ao Morro da Conceição é feito, ainda, pelas históricas ladeiras, como a João Homem, Escorrega, Jogo da Bola e seu prolongamento, a Argemiro Bulcão. Esta última ladeira desemboca na Pedra do Sal, berço, no início da República, do nosso primeiro rancho carnavalesco. Na Pedra do Sal, fica o Largo João da Baiana que é um reduto de sambistas. No início do século XX, com as obras de construção do Cais do Porto, grandes aterros alteraram a orla do bairro da Saúde e foram abertas as avenidas Rodrigues Alves, Venezuela, Barão de Tefé, onde surgiram quarteirões com armazéns e galpões.

A rua Sacadura Cabral é o limite entre o bairro original e as novas áreas aterradas. Parte da região da Saúde, compreendendo a Praça Cel. Assunção e a Igreja Nossa Senhora da Saúde passaram para o bairro da Gamboa.