A partir de informações mais antigas da região sabemos que, em 1751, na Praia das Areias de Espanha - faixa arenosa entre a Lagoa do Boqueirão e o Morro das Mangueiras, o Padre Ângelo Siqueira Ribeiro do Prado ergueu seu seminário e Capela em louvor a Nossa Sra. da Lapa do Desterro.

Com o passar do tempo, aterrou-se a Lagoa do Boqueirão e foram criadas as condições para implantação de vias de acesso da população pela região. Duas grandes obras públicas implementadas durante o período colonial valorizaram a região: Aqueduto da Carioca ou Arcos da Lapa (concluída em 1750) e o Passeio Público (1790). Foram surgindo sobrados nos terrenos das antigas chácaras e a população da região era estimada em torno de 6.500 habitantes, em 1838.

Painel Arcos da Lapa Ladeira de Santa Tereza
Painel Lapa Ladeira de Santa Tereza
Arcos da Lapa Largo da Lapa
Lampádario Largo da Lapa
Escadaria Selarón Rua Joaquim Silva, 88

No início do século XX, grandes compositores e artistas tornaram-se frequentadores assíduos da Lapa, que abrigava uma população boêmia que queria se divertir com alegria e pouco dinheiro. Houve a expansão do seu núcleo histórico inicial, o Largo da Lapa, em direção ao eixo da Rua da Lapa e, após a 2a. Guerra Mundial, a região começou a perder importância e aumentaram os números de sobrados deteriorados e prédios abandonados.

A partir de meados dos anos 2000, a localidade começou a ser revitalizada e, em 2012, houve o desmembramento de área do bairro do Centro para criação do bairro da Lapa.