O nome é uma corruptela de NHU (campo), AHYBA (ruim), denominação dada pelos indígenas à baixada entre a serra de mesmo nome e Campo Grande. Era atravessada pela Estrada Real de Santa Cruz, atual Av. Cesário de Melo e nela ficava a Fazenda de Inhoaíba, em frente à Fazenda Campinho. Com a implantação do ramal ferroviário de Mangaratiba, atual ramal de Santa Cruz, foi inaugurado em 1912, a estação Engenheiro Trindade, depois chamada de Inhoaíba que consolidou o nome do bairro.

Marco Imperial 9 Avenida Cesário de Melo
Marco Rodoviário III Avenida Cesário de Melo
Marco Ana Gonzaga Praça Ana Gonzaga
João Wesley Praça João Wesley
Mãe Preta Praça Pretos Velhos
Paizinho Quincas Praça Pretos Velhos
Paizinho Preto Praça Quincas Paizinho Preto

À direita estendia-se a Vila Palmares, da Compainha Palmares, cujos terrenos estavam situados na área da Antiga Fazenda Campinho. Suas terras eram utilizadas para a lavoura do café e da laranja. A urbanização da área se intensifica a partir dos anos 1970, quando surgiram grandes loteamentos, como o Vilar Carioca e o Vilar Guanabara. Parte da área pertence ao Instituto Metodista Ana Gonzaga, que teve grande terreno do lado oposto da ferrovia, ocupado na década de 1990, pela comunidade “Bairro Nova Cidade”.