De i, “Água”, e N-HDÚ, “lodo, lama, barro”, ou seja, “Água Suja”. Designava a extensa planície entre a Baía de Guanabara, a Serra da Misericórdia, e os morros dos Urubus e Juramento. Originalmente existia na região uma aldeia de índios tamoios.

Os jesuítas receberam uma área de uma légua e meia do rio Iguaçu (atual Comprido) até a tapera chamada de Inhaúma. Nela estabeleceram engenho e lavouras e escoavam as mercadorias pelo Porto de Inhaúma, depois aterrado, no atual bairro da Maré.

Em 1684, foi criada pelo Padre Custódio Coelho a freguesia de São Tiago de Inhaúma e seu primeiro vigário foi Frei Antonio da Conceição. Depois aí se instalaria o Bispo José Joaquim Castelo Branco, pioneiro dos cafezais cariocas, com duas propriedades, a do Capão e a Quinta de Sant´Ana, que se estendiam da estrada Velha da Pavuna com a Estrada Real de Santa Cruz (Suburbana), até Terra Nova (atual Pilares).

Almirante e Visconde de Inhaúma Praça Vinte e Quatro de Outubro
Nossa Senhora Aparecida Praça Vinte e Quatro de Outubro
Escrava Anastácia Praça Vinte e Quatro de Outubro

O rio Faria juntamente com o do Timbó cortavam suas terras, que com a decadência da agricultura, foram adquiridas no fim do segundo reinado por laborioso proprietário, o coronel Antonio Joaquim de Souza Pereira Botafogo, que nelas incentivou o comércio e a venda de lotes a prestações, abrindo a praça Botafogo e as ruas Dona Emília, Dona Luísa, Dr. Nicanor, Dr. Otávio, Padre Januário, entre outras, além de doar área para a localização do cemitério de Inhaúma, entre outras benfeitorias. Vizinho a ele, na estrada Velha da Pavuna, existia a Fazenda das Palmeiras, de Frederico Pinheiro da Silva, onde, em 1949, foi instalada a Associação N. Sra. da Piedade. Atualmente toda essa propriedade foi ocupada por Conjunto Habitacional e a Comunidade da “Fazendinha” ou “Morro das Palmeiras”.

Em Inhaúma, ficava a sede do Engenho da Rainha, comprado por Dona Carlota Joaquina, com acesso pela rua Dona Luisa, demolido anos mais tarde por um proprietário inescrupuloso, para evitar o seu tombamento pelo serviço de patrimônio histórico da união.

Inhaúma se beneficiaria com a abertura da avenida Automóvel Clube e a implantação da Estrada de Ferro Rio D´Ouro (em 1876), sendo então construída a Estação de Inhaúma. Com a extinção dessa ferrovia na década de 1960, o seu leito foi aproveitado para abrigar a Linha 2 da Cia. do Metropolitano do Rio de Janeiro – Metrô, sendo inaugurada a Estação de Inhaúma em 12 de março de 1983.