Catete ou Cateté significava, em tupi, “mato fechado”, e correspondia a um braço do rio Carioca que, contornando o outeiro da Glória, desembocava no mar. Nele passou o primeiro caminho de acesso à Zona Sul da Cidade, o Caminho ou Estrada do Catete. Para cruzar o rio Carioca, o Governador Antonio Salema construiu uma ponte, a “Ponte do Salema”, onde foi cobrado pedágio até 1866, no local onde está, hoje, a Praça José de Alencar.

Alfredo Gomes Largo do Machado
Chafariz Largo do Machado
Marco Centenário Largo do Machado
Lorenzo Fernadez Largo do Machado
Placa Comemorativa Largo do Machado
Imaculada Conceição Largo do Machado
Rocha Pombo Largo do Machado
A Agricultura Largo do Machado, 20
A Arte Largo do Machado, 20
A Ciência Largo do Machado, 20

No Segundo Reinado, mansões de nobres e ricos comerciantes foram construídas ao longo da rua do Catete. A estrada do Catete formava um largo, o “Largo do Valdetaro”, em frente à mansão do Desembargador Manoel Jesus de Valdetaro. Neste Largo, em 1862, o Barão de Nova Friburgo construiu, para sua moradia, o Palácio Nova Friburgo, que foi comprado, em 1897, para abrigar a Presidência da República. Conhecido como Palácio do Catete, exerceu a função de sede do governo durante 63 anos, até a transferência da Capital para Brasília, quando passou a sediar o Museu da República, um complexo cultural dotado de aprazíveis jardins. Em frente ao Museu, um conjunto de 34 sobrados, construídos em meados do século XIX, compõem um belo conjunto histórico na Rua do Catete.

A Indústria Largo do Machado, 20
Vaso Largo do Machado, 20
José de Alencar Praça José de Alencar
Painéis metálicos de animais Praça José de Alencar
O Nascimento de Vênus
Rua do Catete, 153
A Aurora Rua do Catete, 153
A Escrita Rua do Catete, 153
A Leitura Rua do Catete, 153
A República Rua do Catete, 153
Águias
Rua do Catete, 153

Outro ponto de destaque é o Largo do Machado, antigo Campo das Pitangueiras. Sua denominação deve-se ao comerciante André Nogueira Machado, proprietário de uma chácara no local. Nele, foi erguida a Igreja de Nossa Senhora da Glória, concluída em 1872, projeto dos franceses Koeler e Riviére, em estilo neoclássico.

África Rua do Catete, 153
América Rua do Catete, 153
Ásia Rua do Catete, 153
Candelabros Rua do Catete, 153
Cristovão Colombo Rua do Catete, 153
Europa Rua do Catete, 153
Figura Feminia I Rua do Catete, 153
Figura Feminia II Rua do Catete, 153
Fonte de Mármore Rua do Catete, 153
Menino com o pássaro Rua do Catete, 153

O Largo do Machado se destaca como importante pólo da região, com galerias comerciais, restaurantes, floristas, o Cine São Luiz, o Colégio Estadual Amaro Cavalcanti e uma estação de metrô. A primeira linha de bondes elétricos do Rio, os do Jardim Botânico, foi inaugurada em 1892 no Largo do Machado.

O Crepúsculo Rua do Catete, 153
Oceania Rua do Catete, 153
Portada Rua do Catete, 153
Atalanta Rua do Catete, 6
Máscaras Rua do Catete, 6
Estátuetas de apoio Rua do Catete, 6
Hipômenes Rua do Catete, 6
Pintura Mural Biblioteca Rua Dois de Dezembro
Vasos
Rua Santo Amaro, 80

Nas encostas do morro da Nova Cintra, voltadas para o Catete, ficavam as grandes pedreiras da Glória e da Candelária, que forneciam material para a construção das Igrejas no Século XIX. Próximo a elas, foram abertas, na chácara de Salvador Quintanilha, as ruas Bento Lisboa e Pedro Américo.

Atualmente, o Catete se destaca como importante centro comercial, mantendo vilas e antigos sobrados, com grandes condomínios residenciais.