O "Dicionário geográfico-histórico do Império do Brasil", de Millet de Saint-Adolphe, registra a construção de uma capela nas margens do Rio Paquequer. O capitão Manoel Silvestre da Silveira e José dos Santos foram os principais doadores da terra para edificação, e o primeiro cura o padre Paulo Manoel Dias de Colaço Freitas.

A povoação foi elevada à categoria de freguesia em 1843, e a de Vila em 1890, sob a denominação de Sumidouro, em conseqüência de curioso acidente geográfico verificado em suas terras, com o Rio Paquequer desaparecendo sob Lajes de Pedra por uma extensão de 300 metros.

O Município veio a ser suprimido em maio de 1892 e restabelecido em novembro do mesmo ano, sendo a sua sede elevada à categoria de cidade em 27 de dezembro de 1929.

Capela de São Sebastião

Sua construção data de 1898, período da opulência da sociedade cafeeira, à qual se encontrava integrada. A capela apresenta-se em bom estado de conservação.

Capela Nº Sº Dos Passos

A capela encontra-se situado no largo que leva o seu nome. A capela foi construída em 1875. A construção é de pedra, constando que o trabalho foi executado por escravos, possuindo 4 colunas de sustentação, portal em arco, cruz e piso também em pedra. O portão é em madeira de Lei. O oratório, em seu interior, é também em madeira pintada de branco.

Fazenda Boa Vista

A fazenda está rodeada de casas de colonos, alambique (que já teria sido usina de café), paiol, galinheiro, cevadeira de porcos, curral, lavouras de cana-de-açúcar, de milho e diversas árvores frutíferas. Foi construída no final do século passado. A casa é em formato de \"L\". Possui 2 andares. O primeiro atualmente é a tulha. A casa possui 2 salões, 6 quartos com móveis de época, 14 janelas e 6 entradas. A entrada para o segundo andar é feita através de uma escada de pedra com corrimão de ferro trabalhado, que dá para a varanda lateral da casa.

Fazenda Boa Vista (Wermellinger)

A residência, construída sobre muros de pedras é circundada por um grande jardim e árvores frutíferas, tendo a frente uma calçada de pedras de estruturas inteiriças, sobre a qual, há uma escada redonda de pedras antigas e trabalhadas que servem de divisória entre a mesma calçada e a entrada principal. A casa é bem antiga e foi comprada e reformada por Antonio Wermelinger no início do século passado, daí o complemento do nome da fazenda como distinção de outras propriedades com a mesma designação no município.

Durante a reforma do prédio, duas salas e quatro quartos foram adaptados sobre um porão de pedras,local onde foram encontrados objetos que pertenceram aos senhores que ali residiram em períodos que antecederam a compra do imóvel.Os objetos encontrados, confirmaram o histórico da fazenda de café e suas lendas, pois as peças tais como algemas, correntes e troncos, serviram aos escravos que ali deixaram suas marcas nos muros,terreiro de pedras, paredões, senzala, caverna, galeria para escoamento de águas e construções em ruínas que resistiram ao tempo.

Há também um paiol, cevadeira de porcos, curral, estábulo, galinheiro,um moinho de milho (desativado),uma garagem com paredes de treliça artesanal e uma casa de pedras destinada a serraria e fornecimento de luz própria, com gerador de energia e dínamo importados no início dos anos 1950, quando toda a zona rural do município era desprovida de energia elétrica. A propriedade possui áreas de pastagens, matas.e nascentes.

Igreja Nª Sª Da Conceição Do Paquequer

Sua construção data de 1843, período do início do desenvolvimento econômico do município. A igreja apresenta-se em bom estado de conservação. No seu interior, teto em madeira com pinturas, dois lustres de cristal. Um arco de pedra separa a área do altar do restante. Há dois altares laterais. O piso do centro da Igreja é feito em mármore com losangos azuis e brancos, e o lateral em pedra. O altar possui 8 colunas em estilo neoclássico. A mesa é em mármore esculpido e nas suas laterais, duas grandes portas de madeira.

Ponte Seca

Situa-se na entrada da Fazenda Santa Mônica. Sua construção data da 2ª metade do século XIX. A Ponte Seca fazia parte da Estrada de Ferro de Nova Friburgo - Além Paraíba. Possui nove grandes pilares em blocos de pedras, em curva semi-ovalada medindo quatro metros de largura e 6 de comprimento. Consta que foi construída por escravos e o pilar mais alto mede aproximadamente 12m de altura.

Tunel da Antiga Linha Ferrea Leopoldina Nº 1

Primeiro túnel, de um conjunto de três, que compunha um trecho da antiga linha férrea Leopoldina, particularmente pitoresco por suas matas nativas, mirantes naturais e vistas deslumbrantes de uma paisagem que se estende, desde vales verdejantes até o distante horizonte recortado por infinitas montanhas rochosas. Construídos por engenheiros Ingleses no final do século XIX, possuem uma característica de grande valor histórico e cultural, esculpidos que foram por mãos escravas no final do segundo Império brasileiro,e todo trabalhado com grandes blocos de pedra, retirados da própria rocha, que, dispostas geométrica e artisticamente, ornamentavam os arcos nas entradas e saídas do túneis. Possui 20m de extensão por 3.85m de largura e 4.60m de altura.

Tunel da Antiga Linha Ferrea Leopoldina Nº 2

Segundo túnel, de um conjunto de três, que compunha um trecho da antiga linha férrea Leopoldina, particularmente pitoresco por suas matas nativas, mirantes naturais e vistas deslumbrantes de uma paisagem que se estende, desde vales verdejantes até o distante horizonte recortado por infinitas montanhas rochosas. Construídos por engenheiros Ingleses no final do século XIX, possuem uma característica de grande valor histórico e cultural, esculpidos que foram por mãos escravas no final do segundo Império brasileiro,e todo trabalhado com grandes blocos de pedra, retirados da própria rocha, que, dispostas geométrica e artisticamente, ornamentavam os arcos nas entradas e saídas do túneis. Possui 75m de extensão por 3.85m de largura e 4.60m de altura.

Tunel da Antiga Linha Ferrea Leopoldina Nº 3

Terceiro túnel, de um conjunto de três, que compunha um trecho da antiga linha férrea Leopoldina, particularmente pitoresco por suas matas nativas, mirantes naturais e vistas deslumbrantes de uma paisagem que se estende, desde vales verdejantes até o distante horizonte recortado por infinitas montanhas rochosas. Construídos por engenheiros Ingleses no final do século XIX, possuem uma característica de grande valor histórico e cultural, esculpidos que foram por mãos escravas no final do segundo Império brasileiro,e todo trabalhado com grandes blocos de pedra, retirados da própria rocha, que, dispostas geométrica e artisticamente, ornamentavam os arcos nas entradas e saídas do túneis. Possui 162m de extensão por 3.85m de largura e 4.60m de altura.