A colonização do território do Município de Miracema é atribuída aos esforços de D. Ermelinda Rodrigues Pereira, que, na primeira metade do século XIX, no local onde atualmente existe a praça que tem seu nome, construiu uma capela dedicada ao culto de Santo Antônio. Doou, também, alqueires de terras para a construção da futura freguesia de Santo Antônio, mais tarde, Santo Antônio dos Brotos.

Em 1883, a freguesia de Santo Antônio dos Brotos tem sua denominação mudada para Miracema. No século XIX, teve intensa vida econômica e social e um grande surto progressista, tornando-se importante zona protetora de café, algodão e cana-de-açúcar, com indústria e comércio prósperos. Devido ao seu crescente progresso, Miracema foi elevada à categoria de Município em 7 de novembro de 1935.

Igreja de Santa Rita de Cássia

Altar em pedra trabalhada com nichos para colocação de imagens.

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Natividade

A partir de 25 de Julho de 1845, a Igreja Matriz já estava funcionando. Com uma reforma perdeu suas características originais. A entrada atual é pavimentada e cercada de ferro. O frontispício é composto por quatro vitrais. Na parte superior, há uma rosácea de doze compartimentos, embelezados pelas cores azul, amarelo e vermelho, de 5m de diâmetro aproximadamente. Acima da rosácea, está o campanário de formato piramidal, possuindo dois sinos.

Atrás deste está a imagem, em concreto, da Santa Padroeira do Município, iluminada à noite. A porta principal, talhada em madeira maciça de cedro-magno, foi doada por um cidadão denominado Laurício, que a talhou e instalou no local. No interior, a nave é em piso vitrificado, de confecção atual. As seis pilastras existentes, em cada lado, totalizando doze pilastras, imitam a pintura em mármore, que sustentam o teto de tábua corrida pintado em branco. As paredes da nave são decoradas por sete vitrais de cada lado. A imagem de Nossa Senhora da Natividade do século XIX, que está em um pequeno altar retangular, em madeira talhada, oriunda da Espanha. A imagem sofreu uma restauração em Belo Horizonte no ano de 1987.

Monumento à Nossa Senhora de Fátima

É uma capelinha ladeada por duas escadarias e dois bancos, situado numa grande área gramada. A capelinha possui cinco pontas, tendo a sua flecha (a ponta central) a altura de 2,5m aproximadamente. A imagem de Nossa Senhora de Fátima, no interior, cercada em grade de ferro, é em gesso sem pintura e possui altura aproximada de 80 cm.

Santuário das Aparições de N.S. de Natividade

A casa de Nossa Senhora, em frente ao lago, foi construída em 1974, pelo Dr. Fausto de Faria, para quem a Santa apareceu. É uma perfeita réplica do Santuário em Éfeso, na Turquia, sendo a única no mundo. Possui estilo oriental, com suas cúpulas arredondadas. Internamente, o primeiro plano é constituído de uma sala de visitas com cofre, onde pode-se ver a Pedra Cefas, que misteriosamente apareceu nas mãos do Dr. Fausto de Faria, na terceira aparição dela em 12/07/1967. No fundo do cofre, está a cópia do retrato falado original de Nossa Senhora, feito por Iraci do Nascimento e Silva.

No segundo plano há três oratórios e um quadro que traz as mensagens deixadas pela Santa. Ao lado esquerdo, a sala dos milagres, e ao lado direito, a sala particular da santa. A poucos metros da casa, localiza-se o nicho construído no local exato das aparições. Nele está a imagem em bronze de autoria de Matheus Fernandes, datada de 1969. Defronte ao nicho, passa o regato onde Nossa Senhora apareceu. Há uma fileira de bicas, para facilitar a colheita da água do regato pelos fiéis, que a procuram para fins milagrosos.