Até o século XVII, Guapimirim era habitada pelos índios Timbiras que, com a chegada dos portugueses, subiram a serra e descobriram o Rio Guapi-Mirim. Nossa Senhora D'Ajuda de Aguapei Mirim foi seu primeiro nome, quando fundada em 1674. Era passagem obrigatória para quem se dirigisse à Serra dos Órgãos. A história de Guapimirim está relacionada com a de Magé, município do qual se emancipou recentemente. Data dos primeiros tempos coloniais do Brasil o desbravamento da região de Magé.

Em 1565, Simão da Mota edificou sua moradia no Morro da Piedade, próximo do qual, ainda hoje, existe o porto de mesmo nome, a poucos quilômetros da atual sede municipal. Alguns anos depois, Simão da Mota, com outros portugueses e inúmeros escravos, transferiu-se para a localidade Magepe-Mirim, de onde se originou a atual cidade de Magé. A povoação foi elevada à categoria de freguesia em 1696. Próximo dali também desenvolveu-se, a partir de 1643, a localidade de Nossa Senhora da Guia de Pacobaíba, reconhecida como freguesia em 1755.

Devido ao esforço dos colonizadores e à fertilidade do solo, ambas Magepe-Mirim e Guia de Pacobaíba gozaram de uma situação invejável no período colonial. Tanto numa quanto noutra, o elemento negro, introduzido em grande número, muito contribuiu para o desenvolvimento da agricultura e elevação do nível econômico local. Em 1789, Magé foi elevada à categoria de vila, com território constituído de terras desmembradas do município de Santana de Macacu e da cidade do Rio de Janeiro, inclusive as ilhas do arquipélago de Paquetá, na Baía de Guanabara. Em 1857, foram-lhe atribuídos foros de cidade.

Para que se avalie a importância desse município, durante o segundo Império, foi construída em suas terras a primeira estrada de ferro da América do Sul. Inaugurada em 1854, a Estrada de Ferro Mauá ligava as localidades de Guia de Pacobaíba e Fragoso, numa extensão de 14,5km. D. Pedro II, quando passou pelo lugar, ficou tão impressionado com sua beleza natural que criou um pedágio a ser cobrado de todo visitante que desejasse ver o local, hoje conhecido como Barreira.

Com a abolição da escravatura, houve considerável êxodo dos antigos escravos, ocasionando terrível crise econômica. Esse fato, aliado à insalubridade da região, fez com que desaparecessem as grandes plantações, periódicas ou permanentes. O abandono das terras provocou a obstrução dos rios que cortam quase toda a baixada do território municipal, alagando-a. Daí originou-se o grassamento da malária, que reduziu a população local e paralisou por várias décadas o desenvolvimento econômico da região.

Em 1926, foi construída a Estação Ferroviária de Guapimirim e, a partir dela, as primeiras construções urbanas. Atualmente esta estrada de ferro liga Guapimirim, Magé e Gramacho.

Capela de Nossa Senhora da Conceição

Localiza-se em uma pequena ilha que se forma pela queda do Rio Guapi, envolvida por densa vegetação do Parque Nacional da Serra dos Órgãos. A sua frente estende-se um terreno conformado por muros de arrimo que serve de adro. O caminho que dá acesso a capela era o antigo leito da estrada de ferro que liga o cais da Piedade a Teresópolis. Monsenhor Pizzarro menciona a capela como filial da Freguesia de Nossa Senhora da Ajuda. Foi construída no século XVIII e concluída no ano de 1713, não sendo possível obter maiores dados acerca do seu histórico. A Capela de Nossa Senhora da Conceição possui nave única, sacristia e alpendre lateral. O alpendre é bastante comum na arquitetura rural fluminense dos séculos XVIII e XIX. Apesar de sua simplicidade, a fachada principal segue proporções estudadas de alturas, larguras, cheios e vazios e, mesmo singela, há uma marcação de cimalhas, cunhais e valorização da fachada principal, com pequeno frontão, triangular de gosto clássico. A cobertura foi substituída por telha francesa. A capela em geral encontra-se em bom estado de conservação.

Museu Von Martius

Localizado dentro do Parque Nacional de Serra dos Órgãos, está instalado na casa-sede da antiga Fazenda Barreiras. Está situada em um platô gramado, cercado por densa vegetação. A paisagem circundante é exuberante, com altas montanhas no pano de fundo e rios. O atrativo é uma homenagem a Karl Phillip Von Martins (1794/1868), botânico, alemão, que chegou ao Brasil em 1817 e hospedou-se na Fazenda Barreiras, depois de percorrer diversos estados brasileiros. As peças do acervo do Museu estão relacionadas a Karl Phillip Von Martius, sendo elas um busto em gesso de Von Martius; mural representativo do trajeto de sua viagem de estudo do Rio ao Amazonas, com indicações terapêuticas; 66 pôsteres de diversos tamanhos; manuscritos de Von Martius trazidos para o português; cópia em fotografia da Catedral de Santarém, no Pará, mostrando o altar e crucifixo doados por ele em pagamento de promessa; exemplares da "Viagem pelo Brasil", Reino das Palmeiras", e alguns exemplares da 'Flora Brasiliense", 40 volumes, abrangendo também observações de outros botânicos anteriores e seus contemporâneos sobre nossa flora. Sede do Parque Nacional da Serra dos Órgãos - BR-116 KM97.

Parque Nacional Serra dos Órgãos

Na sede do parque em Guapimirim o visitante pode desfrutar de um passeio histórico-ecológico com visita ao Museu Von Martius, à Igreja de N.S. da Conceição (1713), em meio a passeios em trilhas bem sinalizadas e banhos em piscinas de água natural. O Parque oferece também estrutura para quem quiser acampar.