O povoamento de Barra do Piraí teve início em terras de sesmarias doadas em 1761 em quadra, ficavam e 1765 a Antônio Pinto de Miranda e Francisco Pernes Lisboa.

Com área de uma légua situadas nas margens direita e esquerda do rio Piraí, em sua confluência com o Paraíba do Sul. Os primeiros colonizadores foram membros das famílias Faro e Pereira da Silva. Grandes senhores de escravos, dedicaram-se à agricultura e, em pouco tempo, dominaram a região cafeeira, serra acima.

Em 1853 as primitivas sesmarias ficaram interligadas pela ponte que o comendador Gonçalves Morais mandara construir. Perto dela levantou-se o Hotel Piraí, e mais tarde novas edificações. A esse tempo, na margem oposta do Paraíba, os comendadores João Pereira da Silva e José Pereira de Faro, futuro barão do Rio Bonito, erguiam o pequeno povoado de Santana.

O rápido desenvolvimento do lugar, onde se realizavam grandes transações comerciais, propiciou a inauguração de uma estação da Estrada de Ferro Central do Brasil, a 7 de agosto de 1864. Em seguida iniciou-se a construção dos ramais mineiro e paulista.

Cais de Sant`Ana e Palmeiras Imperiais

O Cais de Santana, seus antigos casarios e as históricas palmeiras imperiais, fazem parte da nossa cultura e da nossa história.

Casa da Princesa

Construída em 1884, para receber e hospedar a Princesa Isabel, quando da visita do Imperador D.Pedro II, à Barra do Piraí.

Catedral de Sant`Ana

Construída em 1881 pelo fundador do município, o 3º Barão do Rio Bonito, José Pereira do Faro, sua pedra fundamental foi lançada em presença do Imperador D. Pedro II, quando visitou a Freguesia da Barra do Piraí, a convite do próprio Barão. O Barão realizou seguidas viagens ao Rio de Janeiro selecionando arquitetos, pintores e pedreiros estrangeiros para abrigá-los em suas propriedades em Barra do Piraí, sob condição de trabalharem na construção da Catedral de Sant'Ana .

Chaminé da Rede Ferroviária

A 21 de novembro de 1883, inaugurava-se com grande solenidade e com a presença do Imperador Pedro II, a Estrada de Ferro Santa Isabel do Rio Preto, compreendendo 3 seções: Barra do Piraí / Ipiabas, Ipiabas / Conservatória e Conservatória / Stª Isabel do Rio Preto.

Fazendas Históricas do Século XIX

Para aquelas pessoas que desejam conhecer a história do Ciclo do Café através de suas fazendas, a cidade de Barra do Piraí é um grande referencial. Na segunda década do século XIX, o café começou a ser plantado no Vale do Paraíba e fazendas proveram-se para cultivar o fruto precioso. Nas fazendas, os turistas desfrutam das relíquias de um Brasil antigo através de saraus, chás imperiais, pesca ecológica, cavalgadas, produção de cachaça e inúmeras histórias empolgantes.

Igreja de nª Srª da Piedade - Ipiabas

Bela obra, erguida nos idos de 1812, encontra-se hoje restaurada, onde são celebradas missas no último domingo do mês.

Igreja de São José

Construída em 1876, apresenta fachada frontal em alvenaria, pintada de branco e cinza, com 2 colunas laterais, portas e janelas em forma de arcos. Possui uma torre sineira com janelas e um crucifixo no topo. Nas paredes laterais encontram-se vitrais em forma de círculo. Seu interior ainda conserva o estilo do século passado e possui altar todo decorado em desenhos em alto-relevo, onde se encontra a antiga imagem de São José de tamanho natural esculpido em madeira. Além desta, guarda ainda outras do século passado.

Igreja Matriz de São Benedito

Inaugurada em 1943, apresenta a parte externa em pedra polida e na fachada frontal, porta antiga em forma de arco onde está localizado um vitral de 3m de altura representando a crucificação de Jesus Cristo. Torre sineira de 7m de altura e 3,5m de largura, onde se encontra um relógio de forma quadrada .

Ponte Metálica

A Ponte Presidente Getúlio Vargas, foi construída em 1898 sobre o Rio Paraíba do Sul para a passagem de trens da Rede Mineira de Viação, e posteriormente para uso dos pedestres também. Toda construída na Bélgica, em sistema de pré-moldagem, foi aqui em Barra do Piraí montada, por engenheiros mineiros da Sapucahy.

Pontilhão da Rede Mineira - Ipiabas

Antiga ponte, sobre a qual, passava o trem da extinta Rede Mineira de Viação.

Prédio da Estação Ferroviária D. Pedro II

Em 1858, partia Christiano Otoni, rumo a Barra do Piraí, levando os trilhos que, em 7 de agosto de 1864, dar-se-ia a triunfal chegada do imperador Dom Pedro II para a inauguração da Estação da Estrada de Ferro Dom Pedro II. Maior entroncamento ferroviário da América Latina, anexo à Estação, havia o Hotel da Estação, ponto de encontro de políticos do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Possui dois andares, sua fachada principal possui uma porta em folha dupla de peroba e janelas em estilo colonial rural. Neste local, importantíssimas decisões foram tomadas sobre o destino do Brasil.

Santuário da Concórdia

Os Santuários de Vida Silvestre são áreas em que a proteção e o manejo são necessários para a conservação de comunidades de flora e fauna de significativa importância, assim como para a existência de determinadas espécies endêmicas. O Santuário de Vida Silvestre da Fazenda Santo Antônio da Aliança está situado na Serra da Concórdia, o mais importante remanescente da Mata Atlântica, na margem esquerda do médio Rio Paraíba do Sul.