Catedral Cristo Redentor

Construída ao redor da praça do Centro Cívico no centro da cidade. A catedral chama a atenção dos visitantes pela beleza e arquitetura moderna e arrojada. A construção teve início em 1968 e sua inauguração aconteceu em 26 de novembro de 1972, no papado de Paulo VI.

Centro Histórico

O centro histórico está localizado às margens do rio Branco, o qual representa o nascimento da cidade de Boa Vista, em 1830. Nele encontramos a primeira igreja local, a Matriz Nossa Senhora do Carmo, e ao lado encontra-se a sede da Fazenda que deu origem à cidade.

Complexo Arquitetónico Centro Cívico

O Complexo Arquitetônico Centro Cívico é composto por prédios antigos e modernos que contornam o Monumento ao Garimpeiro e o Palácio do Governo ‘Senador Hélio Campos’, na Praça do Centro Cívico, para onde convergem as principais ruas da cidade. Os prédios são: o Banco da Amazônia, o Palácio da Cultura, os Correios, a Assembléia Legislativa, o Tribunal de Justiça do Estado, o Ministério e a Secretaria da Fazenda, a Secretaria de Educação, o Banco do Brasil, o Palácio da Justiça Sobral Pinto, a Catedral Cristo Redentor e o Hotel Aipana Palace.

Monumento ao Garinpeiro

Construído na década de 60 pelo governador Hélio da Costa Campos. Homenageia o homem rude que procura no seio da terra o metal precioso, sempre com o sonho de riqueza e de uma vida mais fácil.
O monumento é representado por um homem garimpando com sua bateia, a obra é uma exaltação à época áurea do milagre amarelo e aqueles que trabalhavam na busca de esperanças e contribuíram para o desenvolvimento da região.

Monumentos aos Pioneiros

Em homenagem aos pioneiros desbravadores que aqui chegaram para povoar e desenvolver este belo pedaço do Brasil. É uma obra extraordinária, construída pelo artista plástico Luiz Canará. O projeto foi concebido com o aval do Instituto Histórico e Geográfico de Roraima. O painel é voltado para o rio Branco, mede 15 metros de comprimento por 4 metros de altura, avançando 1 metro e meio de parede para dar resultado a uma imagem tridimensional, lembrando o formato do Monte Roraima. A obra é feita totalmente em concreto armado, mostrando várias figuras que simbolizam o passado histórico do Estado. De acordo com o projeto, no conjunto de figuras se sobressai a figura de Macunaíma, como o primeiro habitante dos campos do Rio Branco, recebendo os pioneiros que chegavam a pé, a cavalo ou em canoas. Em suma, o painel representa a união dos nativos, com seus modos, usos e costumes com as pessoas que aqui chegavam.

Palácio da Cultura

Localizado também ao redor da praça do Centro Cívico, é um espaço criado para o fortalecimento cultural, dispondo de espaço para oficinas de teatro, artes plásticas entre outras. Possui um auditório onde acontecem palestras e amostras culturais. A Biblioteca Pública Estadual também esta localizada neste centro cultural.

Ruínas do Forte São Joaquim

O forte foi construído em 1775 pelo portugueses para proteger a região das invasões estrangeiras e consolidar a ocupação portuguesa. Em 2001 foi tombado pelo patrimônio histórico.