Essa região foi primeiro colonizada por franceses, durante o século XVI. Mas não demorou para que portugueses e holandeses entrassem em conflito pelo domínio daquele território. Depois disso, sob o controle dos holandeses, teve início efetivamente o povoamento do Estado Rio Grande do Norte, em 1633. Suas atividades econômicas começaram com a exploração do sal, da cana-de-açúcar e da pecuária bovina. E o resultado disso está refletido nos dias de hoje, quando o Estado responde por 87% de toda a produção de sal marinho do País.

- Cidade de Acari
- Cidade de Canguaretama

Terra de sol o ano inteiro, o Estado do Rio Grande do Norte é uma região privilegiada. Não somente pelas belezas naturais, como suas lindas praias e dunas espalhadas nos mais de 400km de litoral, mas também por possuir o ar mais puro da América Latina. Essa constatação foi feita pela agência espacial norte-americana, a Nasa, e pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) a partir dos resultados de uma pesquisa concluída em 1992.

A implantação da chamada Via Costeira – uma avenida com 8km à beira mar – foi o verdadeiro ponta pé para o início da atividade turística do Estado, na década de 1980. Ali estão concentrados os principais hotéis e restaurantes da capital, Natal. Melhorias na infra-estrutura turística e conservação do patrimônio natural são algumas das ações priorizadas desde então pelo governo estadual. Um dos destaques foi a criação do Parque Estadual das Dunas, que visa preservar a cadeia de dunas que rodeiam a cidade. Assim, Natal se tornou a porta de entrada para as belas praias do Estado do Rio Grande do Norte. Muitas delas são ainda semi-selvagens, como Pipa e Pirangi; e outras são mais badaladas, como as de Genipabu e Tibau do Sul.

O Estado do Rio Grande do Norte destaca-se também na produção petrolífera – com uma extração média de 100 mil barris por dia –, ocupando o segundo lugar no ranking nacional, atrás apenas do município de Campos, no Estado do Rio de Janeiro.

Um pouco mais distante do litoral, o município de Mossoró é considerado a capital da fruticultura irrigada, abastecendo mais de 70% do mercado nacional de melão. Além desta fruta, o Estado é famoso por suas plantações de manga e o caju. Sendo que este último levou o Estado a figurar no Guiness Book. Localizado na praia de Pirangi do Norte, o maior cajueiro do mundo, com 500 metros de circunferência e 92 anos de vida, abrange uma área de 7.300 m2. Sua copa é equivalente a um agregado de 70 cajueiros, apesar de ser um só.

Pirangi do Norte concentra também a produção artesanal de rendas de bilro e labirinto. As rendeiras entrelaçam, com paciência e rapidez, finos fios de algodão até surgirem toalhas, colchas de cama e roupas de todos os tipos. Além disso, ali está situada a Barreira do Inferno, primeira base de lançamentos de foguetes da América Latina.