Colégio dos Jesuítas

Imponente construção em três pavimentos, ocupa ¾ de uma quadra às margens do Rio Itiberê no Centro Histórico de Paranaguá. Desenvolve-se em torno de um pátio central. Anexa ao Colégio existiu a igreja, da qual restam hoje as fundações da nave e torre e o arco cruzeiro inserido na parede que limita o atual auditório. Construída entre 1740/1755, foi confiscada pela real fazenda em 1760 após a expulsão dos jesuítas do Brasil. Abriga hoje o Museu de Arqueologia e Etnologia vinculado à Universidade Federal do Paraná.

Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres

Construída entre 1767 e 1770, no sopé do Morro da Baleia, a fortaleza insere-se no grupo das chamadas fortificações orgânicas por não obedecerem a uma forma rígida mas adaptaram-se às condições topográficas do sitio. Desenvolve-se em cinco lanços de espessas muralhas de alvenaria de pedra de 10 metros de altura e sua portada, voltada para o leste, apresenta um tratamento requintado em cantaria, com escultura brasonada sobre o portão principal, encimada por uma concha esculpida num único bloco de pedra.

Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas

Construção muito simples em alvenaria de pedra, característica da ocupação do litoral paranaense no século XVIII. Frontão curvilineo, cruzeiro encimando-o, óculo central e pináculos laterais. Entre as janelas do coro, tarja com as insígnias da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas. A torre, à esquerda da fachada, é construção posterior, datada em 1841.

Igreja de São Benedito

Construída em alvenaria de pedra, muito singela característica da arquitetura setecentista da região. Torre única e frontão curvilíneo, encimado por cruzeiro. O interior da Igreja é também simples. No altar-mor está colocada a imagem se São Benedito, orago da Igreja e da irmandade.