Convento e Igreja de Nossa Senhora da Penha

É um complexo histórico constituído de edificações erigidas em diferentes épocas, integradas a um patrimônio natural (montanha de 154 metros de altura com vasta vegetação). Entre 1558 e 1570 foram construídas duas ermidas no morro. A primeira ermida, dedicada a São Francisco, foi erguida no espaço plano existente no morro denominado Campinho. A atual capela lá existente é uma reconstrução feita entre 1952 e 1958. A outra ermida teve sus construção realizada no alto do morro, em cima da pedra. Em 1585, após a morte de seu fundador, Frei Pedro Palácios, a Capela de Nossa Senhora é ampliada e reformada pelos moradores. Em 1591, as ermidas e outras benfeitorias existentes e todo o morro foram doados aos Franciscanos pela Governadora Luisa Grimaldi. De 1591 a 1650, nesta época, as romarias já são constantes e construíram-se abrigos para romeiros e "em volta do cimo da rocha havia um muro de resguardo até ao peito para se fazer procissões". De 1650 a 1659 o Convento foi construído com nove celas para os religiosos da comunidade e duas para hóspedes, com corredores, cozinha e despensa. De 1750 até nossos dias, o Convento da Penha recebe profundas reformas, com ampliação das celas, senzalas e casa para romeiros, remoção total do telhado que foi coberto com telhas novas, além de ter sido substituída, pintada e dourada toda a talha apodrecida.

Igreja de Nossa Senhora do Rosário

A Igreja Nossa Senhora do Rosário foi fundada na Vila do Espírito Santo, hoje, Vila Velha, na mesma data da chegada do primeiro Donatário Vasco Fernandes Coutinho, 23 de maio de 1535. Em 1551 com a chegada dos jesuítas no solo capixaba, ajudaram a erguer outra capela maior, consagrada a Nossa Senhora do Rosário. A igreja possui partido arquitetônico com planta em forma retangular, apresenta nave, coro e capela mor. Esta última apresenta-se mais estreita e mais baixa que a nave, possui três janelas de cada lado, na parte superior das paredes, e é forrada com forro de madeira em forma de abobada. Na nave com três altares, destaca-se uma pia batismal em mármore de lioz, e o forro de madeira em forma de prisma tripartido. Coberta com telhas de barro tipo canal, o telhado de duas águas apresenta beiral em beira-seveira. Seu piso em ladrilho hidráulico é o testemunho das diversas alterações que a igreja sofreu ao longo de sua história.