Estácio de Sá, sobrinho do Governador-geral Mem de Sá, fundou, em 1º de março de 1565, a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, em uma praia localizada entre os morros Pão de Açúcar e Cara de Cão. Ele construiu, na entrada da baía, uma fortificação composta por casinhas simples feitas de troncos de madeira e barro, cobertas de palha, ao lado das quais perfurou um poço para abastecimento de água potável. Ergueu uma capelinha, designou autoridades e criou uma hierarquia, nomeando o juiz, o alcaide-mor e o tabelião. Esta pequena paliçada, que recebeu o nome em homenagem a Dom Sebastião, rei de Portugal, constituiu o núcleo inicial da Cidade, estabelecendo as bases para sua colonização. Desta forma, o Rio de Janeiro começou em um estratégico istmo, localizado no que hoje conhecemos como o bairro da Urca.

Depois que Estácio de Sá combateu e expulsou os franceses, a Cidade foi transferida para o Morro do Castelo, situado no atual bairro do Centro. A área que hoje se conhece como o bairro da Urca foi criada entre 1910 e 1922, por meio de aterros, ao longo da orla voltada para a tranqüila enseada de Botafogo. O nome Urca tem origem no morro rochoso que lembrava um tipo de embarcação antiga usada pelos holandeses para transporte de carga.antiga usada pelos holandeses para transporte de carga.

No inicio, existiam, apenas, as águas da enseada que acompanhavam o costão do Morro da Urca em sua face oeste. Por ele passava um caminho que levava ao Forte São João e que hoje corresponde à avenida São Sebastião.

No fim do século XIX, o português Domingos Fernandes Pinto adquiriu uma pedreira escavada no Morro da Urca, onde só se podia chegar de barco. Depois, firmou com dois sócios um contrato com a Intendência Municipal para implantação de um cais no local. Foi feito um enrocamento com uma ponte precária na área do “Quadrado da Urca”.

Em 1921, durante o governo do Prefeito Carlos Sampaio, foi concluído o “Quadrado da Urca”; inaugurada a avenida Portugal e aterrada a área cercada pela murada de granito ao longo da costa, até o portão do Forte. Nesta época foi feito, também, o atual arruamento.

Entre 1920 e 1923 foi criada, artificialmente, a Praia da Urca e erguido nela o “Hotel Balneário da Urca”. O Hotel, com 34 quartos, logo entrou em decadência e, em 1933, foi transformado no “Cassino Balneário da Urca” que, além de funcionar como um cassino, apresentava espetáculos, com grandes artistas nacionais e internacionais. Em 1946, no governo do Presidente Eurico Gaspar Dutra, foram proibidos os chamados “jogos de azar” e, assim, o Cassino foi fechado.
Em 1952, se instalou, no local, o primeiro canal de televisão no Brasil, a TV Tupi, que permaneceu no ar até 1968. A partir desta data, o prédio foi abandonado. Recentemente foi adquirido pela Prefeitura e será uma Escola de Design.

A Urca é um bairro residencial, cortado por ruas arborizadas. A avenida Pasteur, antiga Praia da Saudade, abriga hoje o Iate Clube do Rio de Janeiro e as instalações da UNIRIO-Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, UFRJ-Universidade Federal do Rio de Janeiro e do Instituto Benjamin Constant. Na Praia Vermelha, estão o Instituto Militar de Engenharia (IME), a Escola de Comando e Estado Maior do Exército, a pista de caminhada Cláudio Coutinho e a estação do primeiro estágio do Teleférico. Em um percurso de 1330 metros, sob cabos de aço, o mundialmente conhecido Bondinho leva milhões de turistas ao alto dos morros da Urca e Pão de Açúcar.

Amurada da Urca e Ponte Domingues Fernades Pinto
Endereço: Avenida Portugal

Construídas no início de 1920, por ocasião do aterro da área que daria origem ao bairro, ambas são ponto de referência marcante na paisagem e no cotidiano dessa região da cidade.

Cassino da Urca
Endereço: Avenida João Luíz Alves, 13

O hotel Balneário nunca chegou a se tornar um grande hotel como os demais do Rio de Janeiro construídos fora do centro a mesma época. Mas se tornou muito famoso quando transformado em Cassino no ano de 1933.

Fundação Universitária José Bonifácio
Endereço: Avenida Pasteur, 280

Implantado no campus universitário da UFRJ na praia Vermelha, este galpão funcionou como gráfica da Universidade e, após alguns anos abandonado, foi reabilitado em 1981 para abrigar a Fundação José Bonifácio. Sua adequação ao novo uso, através do projeto do arquiteto Alcides da Rocha Miranda, assume e evidencia as características construtivas do galpão: um grande espaço desimpedido, coberto por um telhado de estrutura mista. Para garantir esse caráter, as paredes divisórias da nova compartimentação são baixas e de distribuição complexa, em franco contraste com o espaço unitário da construção original.

Instituto de Mineralogia
Endereço: Avenida Pasteur, 404

O edifíco neoclássico tardio foi projetado por Antonio de Paula Freitas, em 1880, para ser a primeira universidade brasileira. Em 1908 sediou o Palácio dos Estados da Exposição Nacional. A partir daí foi ocupado por diversas repartições públicas, até a instalação do Instituto de Mineralogia, na década de 1970. Compõem com os demais prédios institucionais da avenida um conjunto arquitetônio homogêneo.