Inicialmente o Bairro era um prolongamento do Méier. A Estação Ferroviária de Todos os Santos, inaugurada em 1868, foi extinta no final da década de 1960. Dona Conceição Gomes, proprietária de uma chácara na área, doou terrenos, em 1872, para a construção da capela de Nossa Senhora das Dores.

Gabriel Getúlio de Mendonça, proprietário local, abriu as ruas Todos os Santos (atual José Bonifácio), Leopoldina (Castro Alves), Almeida (Padre Ildefonso Penalva), a rua Getúlio, etc. É um bairro residencial cujas vias principais são as avenidas Amaro Cavalcanti e Arquias Cordeiro.