Antigamente, o bairro se chamava “Morro do Desterro”, com acesso pela atual Ladeira de Santa Teresa, onde foi construída a capelinha de N.S.do Desterro, em 1629. Depois, em 1750, o Governador Gomes Freire de Andrade construiu o Convento de Santa Teresa para abrigar ordem de religiosas.

Outro acesso era a Ladeira do Castro, entre Mata-Cavalos (atual Riachuelo) e o Largo do Guimarães (formado, em 1857, numa chácara de João Joaquim Marques de Castro). Cruzando o morro de Santa Teresa, a pequena trilha que acompanhava os canos do Aqueduto da Carioca, se tornou mais tarde a Rua do Aqueduto, atual Almirante Alexandrino.

Santa Teresa, por sua situação e clima ameno, foi sendo ocupada por famílias abastadas que fugiam da insalubridade e das epidemias do Rio colonial. Em 1850, foi aberto novo acesso pela Rua Dona Luísa (atual Cândido Mendes). Havia várias chácaras, como a chácara de Dona Luísa e as chácaras das Neves, do Castro, da Lagoinha, todas posteriormente loteadas. Do desmembramento das propriedades de Francisco Paula Matos (1845) e Francisco Ferreira das Neves (1853), surgiram as Ruas Oriente, do Progresso, das Neves, Paula Matos, Paraíso, Largo das Neves, entre outras.

Para facilitar o acesso a Santa Teresa, a “Empresa de Carris de Ferro de Santa Teresa” iniciou a construção da primeira linha de bondes puxados a burros, integrada ao plano inclinado, que seguia até o Largo do França. Já com o nome de “Companhia Ferro Carril Carioca”, foi inaugurada, em 1896, a primeira linha de bondes elétricos em Santa Teresa, que saía do Largo da Carioca, passava sobre os Arcos da Lapa, e seguia até o Largo do França. Em 1897, a linha foi estendida até o Silvestre e Paula Matos, consolidando a ocupação do bairro.

Amurada da Pedra
Endereço: Rua Aprazível, 44

Muralha construída em 1859. Sua edificação ocorreu em decorrência de sucessivos desmoronamentos na escosta ao longo da qual se delineia. No século XIX, a Rua Aprazível era um importante logradouro para o escoamento de gêneros alimentícios e materiais de construção.

Bondes de Santa Tereza
Endereço: Santa Tereza

O tombamento inclui todo o sistema de transporte, inclusive os trilhos, mecanismos e acessórios ligados ao funcionamento dos bondinhos abertos (as duas linhas em que trafegam os bondes: Dois Irmãos e Paula Mattos, esta última chegando ao Corpo de Bombeiros – bairro de Santa Teresa – e Centro), bem como a garagem e oficina situados no final do pequeno ramal que sai do largo do Guimarães. O bonde de Santa Teresa, que circula nas ruas e ladeiras do bairro ou sobre o aqueduto da Carioca, é traço de cultura inseparável da belíssima paisagem do Rio, incorporado aos costumes e ao espírito daquela comunidade que, desde a década de 1970, pedia a sua preservação.

O traçado das linhas de Santa Teresa foi estabelecido em 1872, utilizando-se bondes a tração animal. Somente em 1886 o sistema foi eletrificado. Os bondes foram extintos em 1964, permanecendo os de Santa Teresa como últimos remanescentes de um tipo de transporte coletivo que marcou o desenvolvimento da cidade durante uma centena de anos. O tombamento inclui todo o sistema de transporte, trilhos, mecanismos e acessórios ligados ao funcionamento dos bondinhos abertos, a garagem e oficina situados junto ao largo do Guimarães.

Castelo do Valentim
Endereço: Rua Almirante Alexandrina, 1.405

Exemplar de feição historicista com marcante influência gótica, o castelo tinha três pavimentos. Nos anos 1940 construíram-se mais dois, mantendo-se o estilo original, transformando-se a mansão num condomínio de oito apartamentos. Representa importante referência estética e afetiva para memória do bairro.

Curvelo
Endereço: Rua Dias de Barros, 80

O curvelo é um pequeno largo formado no encontro das ruas Dias de Barros e Almirante Alexandrino. No centro, numa ilha coberta, a estação de bonde do Curvelo é uma construção de concreto com telhas planas de cerâmica.

Escadaria e trabalhos de azuleijaria
Endereço: Ladeira de Santa Tereza, s/nº

A escadaria da Rua Manoel Carneiro liga a Rua Joaquim Silva à Ladeira de Santa Tereza, e os trabalhos de azulejaria no local são da autoria do artista plástico Jorge Selarón.

Escola Thomás de Aquino
Endereço: Rua Pascoal Carlos Magno, 73

Casarão com dois pavimentos que apesar de ter sofrido descarecterização interna e externa mais conservada na fachada alguns elementos originais da construção. Nas décadas de 1930, 1940 e 1950 abrigou a Pensão Mauá.

Igreja e Convento de Santa Tereza
Endereço: Ladeira de Santa Tereza, 52

Em 1628 já existia no local uma pequena ermida. Em 30 de dezembro de 1744 foi criado o convento. Em 1750 iniciam-se as obras, sendo o projeto de autoria do engenheiro militar Brigadeiro José Ferandes Pinto Alpoim e a supervisão do Governador Gomes Freire de Andrada, o Conde de Bobadela. Em 1750, as primeiras freiras foram habitá-lo, mas somente em 1757 foi inaugurado. A igreja é um estilo barroco jesuítico, e o alter, roccocó.

Igreja Ortodoxa Santa Zinaida
Endereço: Rua Monte Alegre, 210

Fundada com a denominação de Paróquia Ortodoxa Russa do Rio de Janeiro, em 1934, por imigrantes russos que vieram para o Brasil com a Primeira Guerra Mundial. Em 1937 recebe a denominação atual.

Museu Casa Benjamin Constant
Endereço: Rua Monte Alegre, 255

O museu foi a residência do fundador da República brasileira, Benjamin Constant, adquirido pelo patrimônio público logo após o seu falecimento, em 1891. Está localizado em uma área verde de 10.500m², no bairro de Santa Teresa. Possui uma exposição permanente de objetos, obras de arte e mobiliário que recriam o modo de vida do final do Século XIX e início do Século XX, época em que viveu Benjamin Constant. Foi incorporado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional do Ministério da Cultura (Iphan/MinC), em 1982.

Museu da Chácara do Céu
Endereço: Rua Murtinho Nobre, 93

Em 1962, Castro Maya criou a Fundação Raymundo Ottoni de Castro Maya, tendo como sede sua antiga residência no Alto da Boa Vista, aberta ao público, em 1964, como Museu do Açude. Em 1968, doou à Fundação sua residência de Santa Teresa – Chácara do Céu – com todo seu acervo histórico-artístico, visando a criação de outro museu. Em 1983, a Fundação Raymundo Ottoni de Castro Maya foi incorporada pelo Governo Federal. O tombamento dos prédios ocorreu em 23/09/1974, a saber: Livro das Belas Artes, inscrição nº 520; Livro Histórico, inscrição nº 450; Livro Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico, inscrição nº 66.

Pavimentação tipo pé de moleque
Endereço: Ladeira do Viana

Executado no século XIX com pedras irregulares, este tipo de calçamento foi utilizado nas cidades brasileiras a partir do século XVIII.