O nome Gericinó é composto de Iarí - Airy- “em cima, no alto” e Cin-ó, “liso e fechado”, formando, “morro liso e fechado”. Esse morro é o do Gericinó, com 889 metros de altura, na divisa com o município de Mesquita. O novo bairro foi desmembrado do bairro de Bangu e suas terras ficam entre as serras do Quitungo, Gericinó, morro do Capim Melado e o Campo de Gericinó. A área era formada por lavouras e sítios quando, em 1966, nas estradas do Guandu do Sena e Emílio Maurell Filho, iniciou-se a implantação de um complexo penitenciário, com a construção dos presídios Esmeraldino Bandeira e Muniz Sodré.

Em seguida, foi construída uma série de presídios: em 1988, o Laércio da Costa Pellegrino, Bangu 1, de segurança máxima; em 1995, o Alfredo Tranjan; em 1997, o Doutor Serrano Neves e, em 1999, o Jonas Lopes de Carvalho, conhecidos, respectivamente, por Bangu 2,3 e 4. Há, ainda, o presídio feminino Talavera Bruce, na estrada do Guandu do Sena. No total, são 14 unidades penais, 3 hospitais e um quartel da PMERJ. O Bairro do Gericinó abrange todo o complexo penitenciário, as áreas do Aterro Sanitário, controlado pela COMLURB, e parte da área do Exército, no campo de Gericinó, e segue até a encosta florestada da Serra do Gericinó, encontrando a divisa Norte do Município. Foi criado em 2004 com parte da sua área pertencendo originalmente no bairro de Bangu.