A região pertencia à freguesia de Inhaúma e era atravessada pela Estrada Real de Santa Cruz, atual Dom Helder Câmara e se chamava Venda Grande. No final do Século XVIII, a área fazia parte da imensa propriedade rural da fazenda do Capão do Bispo, do Primeiro Bispo do Rio de Janeiro, Dom José Joaquim Castelo Branco, cuja sede ainda existe e é preservada pelo Patrimônio Estadual.

Com a construção da Estrada de Ferro Melhoramentos do Brasil, depois Linha Auxiliar, foi implantada a estação Del Castilho, em homenagem a um engenheiro, amigo de Paulo de Frontin. A Estrada de Ferro Rio D’Ouro também tinha uma estação que se chamava Liberdade e depois foi rebatizada de Del Castilho. Existiam, portando, duas estações ferroviárias de Del Castilho. Com a extinção da Rio D’Ouro, ficou, apenas, a da linha auxiliar.

Em 1924, foi instalada a grande fábrica da Companhia Nacional de Tecidos Nova América, junto à avenida Automóvel Clube, uma das maiores e mais tradicionais fábricas do país. Em 1991, suas instalações foram desativadas e em seu lugar foi instalado, em 1995, o Shopping Center Nova América que preservou a arquitetura original da fábrica, estilo inglês do início do século. Em 2002, o Shopping Nova América expandiu-se e transformou-se num centro integrado de lazer, serviços e compras.

Na década de 1940, no governo do presidente Eurico Gaspar Dutra, foram construídos grandes conjuntos habitacionais no bairro, próximos à avenida Suburbana e à estrada Velha da Pavuna.

Na década de 1960, foi construído o viaduto Engenheiro Emílio Baumgart (especialista em obras de concreto armado) e, mais tarde, a denominada “Linha Verde”.

No leito da antiga Estrada de Ferro Rio D’Ouro, o Metrô construiu a linha 2, ligando o Estácio à Pavuna. Em 1987, foi reinaugurada a estação Del Castilho, que possui uma passarela que faz a ligação com o Shopping Nova América.

Em Del Castilho, estão as comunidades da Chácara Del Castilho e do Parque União de Del Castilho.

Casa da Fazenda do Capão do Bispo
Endereço: Avenida Dom Helder Câmara, 4.616

A Fazenda do Capão do Bispo era uma das fazendas mais importantes da antiga Freguesia de Inhaúma e um dos primeiros núcleos disseminadores de mudas de café rumo ao interior, para as plantações que iriam representar a maior riqueza da província fluminense e do país no Segundo Reinado. A antiga Casa do Capão do Bispo foi construída no final dos setecentos e pode ser considerada um símbolo da arquitetura vernacular brasileira.