A origem desse bairro é um arraial às margens do Rio Catumbi (na linguagem dos índios, “água do mato escuro” ou “rio sombreado”), em vale fértil e verdejante, habitados por ricos proprietários de terras e escravos. As chácaras mais importantes eram a do Pinheiro, a da Floresta, a dos Coqueiros, e a do Souto. No alto do Catumbi, morava Inácio Corrêa, conhecido como “Papa-Couve”, onde fica o Morro do Fallet, e que deu nome ao antigo Rio Catumbi.

Entre o Catumbi e o Rio Comprido havia a Estrada do Catumbi (atual Itapiru), e no início dela foi implantado o primeiro Cemitério a céu aberto para não indigentes do Brasil, o Cemitério de São Francisco de Paula. A Rua do Catumbi foi aberta em 1850 pelo Comendador José Leite de Magalhães, e a do Chichôrro pelo Desembargador Chichôrro da Gama. A nova Igreja de N.S. da Salette foi construída a partir de 1918.

Com a inauguração do Túnel Santa Bárbara em 1963 e a posterior construção do elevado 31 de Março, o bairro do Catumbi foi dividido em dois. Imóveis e quadras inteiras foram demolidos e hoje parte importante do bairro se espreme entre os viadutos e o Morro da Mineira.

Escola Municipal Estados Unidos
Endereço: Rua Itapiru, 453

Edificação em dois pavimentos, em estilo neocolonial, construída em fins dos anos 1920., segundo projeto dos arquitetos Nereu Sampaio e Gabriel Fernandes. Na fachada externa da escola há um painel em azulejaria didático com o mapa do Brasil

Prédio da Subestação Elétrica da Light
Endereço: Rua Frei Caneca, 363

Construção de tendências classicizantes, concluída em 1907, é a mais antiga estação elétrica da cidade do Rio de Janeiro.