A região original era composta de alagadiços que se estendiam da Baía de Guanabara até a região da Praia Pequena. Por ela passava a Estrada Real de Santa Cruz, vinda do Largo da Cancela, em São Cristóvão, e que corresponde às atuais Ruas São Luiz Gonzaga e Avenida Dom Hélder Câmara (Suburbana).

A principal via local era a Rua da Alegria (atual Prefeito Olímpio de Melo), que seguia até o Caju. No Largo do Pedregulho fica a “Fonte da Medusa”, também chamada de “Bicão”, confeccionada em ferro fundido, com base na escultura do artista francês Henri Frédéric. No trecho da Estrada Real correspondente à Rua São Luis Gonzaga, as pessoas paravam para dar água aos cavalos.

Um dos marcos do bairro é o Hospital Central do Exército, adquirido ao Jóquei Club em 1892, com seus três primeiros pavilhões, inaugurados em 1902, e o Pavilhão Central Floriano Peixoto, em 1913. Destacam-se também o Mercado CADEG, que comercializa produtos agrícolas vindos do interior do Estado com 420 lojas e intensa movimentação noturna, e o Conjunto Residencial Prefeito Mendes de Moraes - ou do Pedregulho - projetado pelo arquiteto Afonso Eduardo Reidy e construído em 1947, considerado patrimônio histórico e arquitetônico.

O Bairro abriga o famoso Bar Adônis, o atual pólo de iluminação na “Rua do Lustre” (Senador Bernardo Monteiro), indústrias, conjuntos habitacionais e as comunidades Vila Arará, Herédia de Sá, Mal. Jardim, entre outras.

Conjunto Residencial Prefeito Mendes de Moraes
Endereço: Rua Capitão Felix, 50

Projetado por Afonso Eduardo Reidy em 1947, o Conjunto do Pedregulho integra habitações e atividades comunitárias. O projeto de Reidy foi premiado na I Bienal de São Paulo, em 1951, que considerou a obra brasileira da maior importância por conjugar singularidade plástica e objetivos sociais. Neste que é um dos mais belos conjuntos habitacionais modernistas destacam-se painéis e jardins de Burle Marx, painel cerâmico de Portinari e painel de azulejos de Anísio Medeiros.

Escola Municipal Uruguai
Endereço: Rua Ana Néri, 192

Projetado pelos arquitetos Nereu Sampaio e Gabriel Fernandes no ano 1928, a edificação neocolonial, inaugurada em 17 de julho de 1930 pelo Prefeito Antônio da Silva Prado Júnior, possui dois pavimentos.
Destacam-se na fachada painéis em azulejo com mapas do Brasil e do Estado do Rio de Janeiro.

Hospital Central do Exército
Endereço: Rua Francisco Manuel, 126

A sobriedade e a imponência do estilo Luís XVI são adequadas ao uso hospitalar miliar. Este pavilão central é remanescente do projeto original, que incluía enfermarias para ofociais e praças, capela, necrotério e um castelo d’água. Notar o espaço gerado pelo desenvolvimento da escada de acesso.