O nome do bairro de Acari provavelmente vem do rio Acari (é um tipo de peixe) que corta suas terras e faz divisa com o vizinho bairro Parque Colúmbia. Acari é um bairro da área Norte da cidade do Rio de Janeiro.

A comunidade foi batizada com o mesmo nome do rio que passa nas proximidades da região, que hoje é chamada de Favela de Acari e que, na verdade, é a junção do Conjunto Amarelinho, construído no final dos anos 50 na beira da Avenida Brasil, e mais quatro localidades: Parque (Proletário) Acari, Vila Rica de Irajá, Coroado e Vila Esperança. O Complexo Acari iniciou seu processo de ocupação no ano de 1946 apresenta um dos maiores índices de pobreza no Estado do Rio de Janeiro.

O bairro confunde-se com a Fazenda Botafogo, conjunto de edifícios habitacionais construídos nos anos 70, nos mesmos moldes da Cidade de Deus, na zona oeste. Faz limite, também, com Coelho Neto. Na área hoje delimitada como bairro de Acari, primeiro era formado pelas grandes fazendas, depois, os engenhos que cultivavam, dentre outros produtos, a cana de açúcar.

A região até o século XIX tinha ocupação predominantemente rural. A partir de 1875, é implantada a estrada de Ferro Rio d’Ouro, por onde corre hoje a linha 2 do metrô, e no entorno da mesma foram surgindo pequenos núcleos urbanos que levaram no início do século XIX a novos loteamentos.

A Vila Nazaré entre a Av. Automóvel Clube e a rua Acuruí data de 1938. Em 1946, é inaugurada a Av. Brasil, que é outra divisa do atual bairro de Acari, levando à implantação de muitas indústrias e a um adensamento junto à nova via. Ocupações informais têm lugar, e hoje parte do bairro é constituído pelas favelas de Parque Acari, Vila Rica de Irajá e Vila Esperança.

Com a implantação da Linha 2 do Metrô, ganhou a estação Acari-Fazenda Botafogo. Nele foi construído o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, conhecido como Hospital de Acari, o segundo maior do município.