Vitor Brecheret (22/2/1894 - 18/12/1955) nasce em São Paulo, onde cursa o Liceu de Artes e Ofícios. Entre 1913 e 1919 estuda arte em Roma. É influenciado pelos escultores Ivan Mestrovic (croata), Auguste Rodin e Emile-Antoine Bourdelle (franceses). De volta ao Brasil cria a medalha comemorativa do centenário da independência.

Continua expondo na Europa e é premiado no Salão de Outono de Paris, em 1921. Liga-se a Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Di Cavalcanti e Menotti del Picchia e ajuda a fundar o movimento modernista. Expõe 20 esculturas na Semana de Arte Moderna de 1922.

No ano seguinte realiza o Monumento às Bandeiras, por encomenda do governo de São Paulo. Em 1951 é premiado como o melhor escultor nacional na 1ª Bienal de São Paulo. Com uma obra de cunho nacionalista, na última década de vida funde a arte indígena com o abstracionismo europeu. Em sua produção destacam-se Ídolo (1921), Depois do Banho (1945), O Índio e Sasuapara (1951). Morre em São Paulo.