Pintor, escultor, gravador e ceramista espanhol (20/4/1893-25/12/1983). Um dos artistas mais importantes do surrealismo, ao lado de Salvador Dali, seu conterrâneo. Nasce em Barcelona e faz o estudo fundamental na cidade.

Apesar da insistência paterna, não chega a completar os estudos secundários. Trabalha num escritório de contabilidade por dois anos, até receber permissão da família para freqüentar uma escola de artes em Barcelona. Entre 1915 e 1919, pinta paisagens, retratos e nus. Muda-se para Paris em 1920, onde conhece os artistas Pablo Picasso e Juan Gris, que influenciam de forma marcante sua obra.

Cria uma linguagem plástica inspirada em cores fortes e alegres e em curvas e traços livres, que incluem borrões e rabiscos como nas pinturas primitivas e infantis. De 1925 a 1928 pinta cenas oníricas e paisagens imaginárias. No final dos anos 30 retrata em seus quadros os horrores da Guerra Civil Espanhola.

Também produz esculturas, tapeçarias e se interessa pela pintura mural a partir de 1934. Em suas obras, principalmente nas esculturas, utiliza materiais surpreendentes, como a sucata. É autor de um vasto trabalho, várias vezes premiado. Parte dele pode ser visto na Fundação Juan Miró, criada em 1976, em Barcelona. Morre em Palma de Maiorca.