Georges Dielbot (1816/1861), natural de Dijon e aluno de Ramey e Dumont, como Mathurin Moreau, ganhará o Prêmio de Roma em 1841. Trabalhará também para o Louvre e fornecerá diferentes modelos para ferro fundido, inclusive o Zuavo e o Fuzileiro.